COMO MUDAR A CIDADE QUE VIVEMOS?

Ao longo dos anos, as metrópoles receberam uma população acima do esperado e tiveram um crescimento desenfreado e sem planejamento. Com isso, o fluxo e ligações viárias foram priorizados, restando espaços desocupados e nada atraentes para pedestres ou investidores.

Além disso, muitos espaços públicos centrais são subutilizados, como praças grandes demais ou sem áreas pré-determinadas, como como quadras, pista de skate, área de mesas, etc.

A ocupação desses espaços que ficam abandonados e ociosos é essencial para incentivar que mais pessoas os frequentem, quanto mais pessoas circulam por um ambiente, mais gente é atraída para aquele lugar, tornando-o vivo e seguro.

Muitas vezes ficamos esperando ações do governo para melhorar a cidade, mas ela também pode ser de nossa responsabilidade e pequenas ações já fazem uma grande diferença. Vamos ver algumas?

- ADOTAR UM CANTEIRO

A cidade possui vários canteiros abandonados. Que tal cuidar de um canteiro próximo da sua casa ou trabalho? É possível fazer até uma horta e colher os frutos de que plantou.

A prefeitura de Belo Horizonte possui o programa “Adote o Verde”, que mantém, nos últimos anos, uma média de 350 espaços verdes adotados por parceiros privados, entre canteiros, praças, jardins e parques.

 Eliane Soares adotou um canteiro em BH para fazer um jardim de rosas.

Eliane Soares adotou um canteiro em BH para fazer um jardim de rosas.

- PARKLET

O parklet é a ocupação de vagas de estacionamento públicas e mantido por iniciativa privada. Sua configuração não atende a nenhum padrão pré-determinado, mas normalmente possui bancos, locais de estacionar bicicleta, tomadas, canteiros, etc.

Esses pequenos equipamentos geram grandes impactos nos locais onde são instalados, pois criam uma melhor relação das pessoas com a rua, favorecendo a permanência no local.

 Rua Paraíba, 810, Belo Horizonte. Crédito: BH Parklets.

Rua Paraíba, 810, Belo Horizonte. Crédito: BH Parklets.

- APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

Se você canta, toca, tem banda vá para a rua! Mostre seu talento na cidade, isto atrai as pessoas e valorizam o espaço.

Por exemplo, todo domingo a Av. Paulista em São Paulo tem o trânsito bloqueado e vários artistas ocupam a avenida com apresentações de teatro, circo, maquiagem, música, aulas de dança e atividades físicas. A avenida fica super movimentada, os museus e lojas cheios e a rua é usada pelo e para os pedestres.

 Av. Paulista aos domingos. Crédito: Catraca Livre

Av. Paulista aos domingos. Crédito: Catraca Livre

- EXPOSIÇÕES E INTERVENCÕES

Exposições sempre atraem público. Anualmente a prefeitura lança editais de ocupação de casas culturais, mas também é possível fazer intervenções no espaço público, em praças, avenidas, montar feiras, criar estruturas no meio da cidade, entre outros.

Em 2009, a grafiteira Maria Raquel Bolinho começou a pintar bolinhos com cores vibrantes pela cidade e hoje já são mais de 600 desenhos que são facilmente reconhecidos pela população.

 Crédito: Quero Bolinho.

Crédito: Quero Bolinho.

Em 2015 fizemos a exposição A Cidade e o Ócio, na Casa do Baile, uma exposição interativa que discutia a escassez de espaços públicos na cidade para desfrutar o tempo livre. No jardim ficavam redes de descanso que atraiam a população ao uso e à discussão de como intervir e ocupar espaços públicos. Você pode conhecer mais sobre esse projeto aqui.

 A Cidade e o Ócio. Créditos: Liga Arquitetura.

A Cidade e o Ócio. Créditos: Liga Arquitetura.

- EVENTOS

Eventos também são uma maneira eficaz de ocupar a cidade. Eles atraem um grande público à áreas muitas vezes desconhecidas e que, mesmo após o evento, se posicionam como novos spots na cidade.

Em Belo Horizonte, os blocos de carnaval e a virada cultural são bons exemplos desse movimento. Os blocos de carnaval, muitas vezes organizados e custeados pela própria população, levam milhares de pessoas às ruas. Para fazer a diferença você pode juntar os amigos e organizar um bloco ou apenas frequentar os eventos que já acontecem anualmente.

 Bloco Então Brilha!, em Belo Horizonte. Créditos: EBC

Bloco Então Brilha!, em Belo Horizonte. Créditos: EBC

- SEU IMÓVEL OU COMÉRCIO

Nem só intervenções no espaço público fazem diferença, a maioria das edificações na cidade são propriedade privada. Ao construir uma casa ou prédio é importante evitar estrangular a passagem, fazer um jardim ou recuar a frente do imóvel, ter aberturas e iluminação para rua. Em comércios e bares, além de uma frente bem iluminada, oferecer locais para sentar na rua em frente ao estabelecimento é uma gentileza ao pedestre e uma forma de atrair clientes.

 Ed. Fidalga, Triptyque

Ed. Fidalga, Triptyque

 Loja Patrícia de Deus que ganhou o Prêmio Gentileza Urbana, Belo Horizonte.

Loja Patrícia de Deus que ganhou o Prêmio Gentileza Urbana, Belo Horizonte.

E você? Se sentiu inspirado a mudar a cidade em que vivemos? Conta para a gente!